3 de março de 2014

Mudança do Garcia: tentativa de barrar servidores não deu certo


Mudança do Garcia: Grupo antecipa desfile e entra em confronto com fiscais da prefeitura
Fotos: Hálice Freitas / Ag. Haack / Bahia Notícias
A linha de frente da Mudança do Garcia forçou a entrada no circuito Osmar, no Campo Grande, no começo da tarde desta segunda-feira (3), cerca de duas horas antes do horário previsto para a passagem do grupo, por volta das 15h30. Acompanhados de políticos do PT, como a deputada estadual Luiza Maia e o vereador Gilmar Santiago – além do presidente estadual da sigla, Everaldo Anunciação – integrantes do Sindicato dos Servidores da Prefeitura de Salvador (Sindseps) e de outras entidades formaram a linha de frente que exigia passar pelo portão. Antes, o grupo já havia sido barrado por uma equipe da Polícia Militar, que acabou permitindo a passagem. Ao chegar no portão, o grupo começou a forçar a passagem. Do outro lado, fiscais da prefeitura posicionados no portão resistiram. Os grupos começaram a se empurrar e houve confusão.
Com um contingente maior, os integrantes da Mudança do Garcia conseguiram romper a barreira. Durante a confusão, funcionários da prefeitura caíram no chão, entre eles o chefe de portão Israel Muniz, de 53 anos, que ralou o pescoço. Alguns homens, parte deles com placas na mão, foram para cima dele, mas a polícia chegou e interviu. Ele relatou ter sido agredido por quatro pessoas. Ainda no Garcia, a deputada Luiza Maia foi questionada se não havia risco de confronto, em função de o grupo se dirigir para o circuito mais cedo do que o horário previsto. “Ano passado, eu falei com o secretário Bellintani e ele deixou a gente passar. A gente não gasta cinco minutos passando. É que a Mudança sai tarde demais e a gente não agüenta esperar desde cedo”, afirmou a petista ao Bahia Notícias. Um dos mais exaltados, o diretor do Sindseps Everaldo Braga esteve envolvido diretamente na confusão, enquanto alguns tentavam pedir calma. Ele chegou a questionar o motivo de profissionais da imprensa poderem passar pelo portão e o grupo de sindicalistas, não. Depois de passar pela barreira, ele se dirigiu ao vereador Leandro Guerrilha, que estava em uma estrutura utilizada pelas rádios para cobertura do Carnaval. Com uma placa com dizeres contrários ao reajuste do IPTU, o diretor gritou: “Você votou a favor. Eu estava lá e vi. Você é v...”, gritou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nunca diga para os outros, aquilo que não gostaria de ouvir