22 de março de 2014

Servidores do estado terão aumento de 5,9% em setembro; até lá, reajuste retroativo a janeiro é de 2%

A 2ª parcela do aumento será de 3,9% em cima do salário de dezembro
Correio
Será de 5,91% o reajuste para os servidores estaduais baianos em 2014. O valor foi confirmado ontem pelo líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Zé Neto (PT). Segundo ele, o reajuste será pago de forma escalonada, como ocorreu no ano passado. “2% serão retroativos a janeiro e o restante pago a partir de setembro”, revelou. A segunda parcela do reajuste, 3,91% sobre o salário de dezembro de 2013, será pago em setembro. 
Representantes dos policiais e do governo se reuniram ontem para discutir a pauta de reivindicações da categoria: sem indicativo de greve


Como adiantado pela coluna Satélite, do CORREIO, o projeto de lei que trata do assunto deveria ter sido enviado ontem à Assembleia Legislativa, mas precisou passar por revisões e o envio acabou atrasando. 

“São muitas tabelas, era preciso revisar. Mas amanhã (hoje) ele vai para a Assembleia”, garantiu o deputado. Ele não acredita, porém, que o reajuste já entre no salário de abril, pois o índice ainda precisa passar pela aprovação legislativa, o que ainda não tem data para acontecer. “Mas deve ser logo”, previu o petista. 

Insatisfação
Além do reajuste escalonado, o trâmite deve ter outra semelhança com  2013: a insatisfação dos servidores que, em maio passado, obrigou o governo a rever os valores que já tinham sido enviados para a Assembleia. A coordenadora-geral da Federação dos Trabalhadores Públicos da Bahia (Fetrab), Maria José Silva, disse que os servidores não concordaram com o reajuste oferecido e que até terça faziam reuniões para negociar outro índice.

“Não queríamos 5,91%, isso não é nem a inflação. Eles chegaram com essa proposta e nós recusamos”. Segundo ela, a proposta da Fetrab é que além da inflação haja um aumento  real, totalizando reajuste total entre 8% e 10%. 

“Para mim é uma surpresa saber que o projeto já está fechado”, queixou-se. Surpreendida, ela disse que soube do envio do projeto com o índice de 5,91% à Assembleia quando procurada pelo CORREIO.  

Sobre o assunto, Zé Neto garantiu que também estava aberto a receber os trabalhadores na Assembleia. No entanto, não soube prever datas. Ele também lembrou que os 5,91% são o reajuste linear dos servidores, o que não exclui as negociações específicas de cada categoria, como os policiais, professores e profissionais da saúde. 

Policiais 

O presidente da associação de policiais militares Força Invicta, tenente-coronel Edmilson Tavares, também disse não estar satisfeito com o reajuste concedido. “Geralmente o governo nunca dá o que a gente gostaria”, disse, embora admita que o assunto não estava na pauta de discussões das associações. Ontem, os líderes sindicais dos PMs se reuniram com representantes do governo para tentar se entender (veja boxe ao lado). 

O reajuste dos policiais será igual ao dos outros servidores. Acréscimos e gratificações que possam incrementar o valor não foram detalhados pelo governo. Colaborou Victor Longo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nunca diga para os outros, aquilo que não gostaria de ouvir