30 de janeiro de 2017

Ministério da Saúde registra 568 casos suspeitos de febre amarela no Brasil

Ministério da Saúde registra 568 casos suspeitos de febre amarela no Brasil
Foto: Reprodução / Shutterstock
O Ministério da Saúde (MS) comunicou que até o final da manhã desta segunda-feira (30) 568 casos suspeitos de febre amarela foram notificados no Brasil. De acordo com o levantamento divulgado pela pasta, 107 desses casos foram confirmados, enquanto 430 ainda estão sendo investigados e outros 31 acabaram sendo descartados. O estado de Minas Gerais segue com o maior número de pacientes com sintomas da síndrome (509). O Espírito Santo foi o segundo estado mais afetado, com 37 casos suspeitos e cinco confirmações. Vale ressaltar que a primeira morte no estado foi confirmada nesta segunda e morava na cidade de Ibatiba. A Bahia registrou sete ocorrências, sendo que seis deles ainda aguardam uma possível confirmação e um deles já foi descartado. O estado não apresentou nenhuma morte pela doença. Ainda de acordo com o Ministério, São Paulo teve três mortes confirmadas, enquanto as ocorrências registradas no Distrito Federal e em Goiás acabaram sendo descartados.
 
Bahianotícias

29 de janeiro de 2017

Salvador tem a segunda pior cobertura de saúde da famíla entre as capitais do país


Salvador tem a segunda pior cobertura de saúde da famíla entre as capitais do país
Foto: Reprodução / Portal Saúde no Ar
Com 29,91%, Salvador é a penúltima capital do país no ranking de cobertura de saúde da família, de acordo com levantamento feito pelo Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde. A cidade fica atrás apenas de Belém, no Pará, que tem 22,75% de cobertura. "Mais de 70% da população não tem atendimento básico de Saúde da Família e o prefeito ACM Neto é o responsável legal por essa vergonha nacional", acusa o vereador Trindade (PSL), líder da oposição na Câmara Municipal de Salvador. Para o edil, essa falta de cobertura acaba superlotando as UPAs e Hospitais de Pronto Atendimento do Estado, que atendem pacientes de toda a Bahia. Ele aponta que mais de 75% das pessoas atendidas nas UPAs deveriam se dirigir às unidades de Atenção Básica, devido à baixa complexidade dos problemas apresentados. "O Estado assume a responsabilidade da prefeitura de Salvador quando o assunto é saúde pública e não recebe nada de recurso federal para manutenção dos Postos de Saúde. O município recebe dinheiro, e só atende um terço da população, a maioria das pessoas vai para os Pronto Atendimentos e Hospitais do Estado, que não recebe um só real para a Atenção Básica", criticou o vereador, acrescentando que Neto "não tem qualquer preocupação com os que mais precisam, ele só se preocupa em maquiar a cidade e fazer festa".
 
Bahianotícias

28 de janeiro de 2017

Surto de febre amarela deve atingir diversas áreas do Brasil, incluindo a Bahia, alerta OMS

Surto de febre amarela deve atingir diversas áreas do Brasil, incluindo a Bahia, alerta OMS
Foto: Divulgação
A Organização Mundial de Saúde (OMS) informou, através da Folha, que o surto de febre amarela deve ultrapassar os limites de Minas Gerais e atingir diversas regiões do país, como Espírito Santo e São Paulo. Em informe desta sexta-feira (27), a entidade anunciou que as autoridades brasileiras estão tomando medidas apropriadas para conter o surto, mas reforça a necessidade de vacinação nas áreas de risco. "É esperado que casos adicionais serão detectados em outros Estados do Brasil considerando-se o movimento interno de pessoas e macacos infectados e o baixo nível de cobertura vacinal em áreas que antes não eram consideradas de risco para transmissão de febre amarela", diz o informe da organização. O vírus da febre amarela é transmitido no Brasil por mosquitos silvestres, que circulam apenas em regiões de mata. Desde 1942 hão há registro de transmissão pelo mosquito Aedes aegypti, o inseto vetor de dengue e zika que circula nas cidades. Até a última sexta-feira (27), o Brasil registrou 101 casos confirmados, dos quais 97 em Minas Gerais, 3 em São Paulo e um no Espírito Santo. Há ainda suspeitas na Bahia, Goiás e Mato Grosso do Sul. É o maior surto da doença desde 1980, quando teve início a série histórica.
 
Bahianotícias

27 de janeiro de 2017

MS registra primeiros casos suspeitos de febre amarela em Goiás e Mato Grosso do Sul

MS registra primeiros casos suspeitos de febre amarela em Goiás e Mato Grosso do Sul
Foto: Reprodução / GCN
O Ministério da Saúde (MS) afirmou nesta quinta-feira (26) que foram notificados casos suspeitos de febre amarela nos estados de Goiás e Mato Grosso do Sul. Esses são os primeiros casos de possível da enfermidade a serem investigados nos estados. O aviso sobre o paciente que teria sido contaminado em Mato Grosso do Sul partiu da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina enquanto o Distrito Federal notificou a morte de um paciente que teria sido infectado em Goiás. De acordo com a Folha de São Paulo, a Secretaria da Saúde de Goiás afirmou que outro possível caso da doença foi registrado nesta quinta, e aguarda ainda confirmação. O caso só deve ser contabilizado no boletim diário do Ministério da Saúde nesta sexta-feira (27).
 
Bahianotícias

25 de janeiro de 2017

MP-BA recomenda que municípios do oeste intensifiquem combate à febre amarela

MP-BA recomenda que municípios do oeste intensifiquem combate à febre amarela
Foto: Getty Images
O Ministério Público da Bahia (MP-BA) recomendou aos prefeitos e secretários de Saúde dos municípios de Cocos, Coribe, Jaborandi, Santa Maria da Vitória e São Félix do Coribe, no oeste baiano, que adotem uma série de medidas para intensificar ações de combate e controle da febre amarela, transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti. Expedida no último dia 17 pelo promotor Bruno Pinto e Silva, a recomendação solicita a realização de ampla campanha de vacinação e ações que evitem a procriação e proliferação do mosquito. Entre as medidas estão o uso de larvicidas; inseticidas químicos; a identificação de focos com destruição ou destinação adequada dos criadouros; além da responsabilização legal dos proprietários pela manutenção e limpeza dos terrenos baldios, e da garantia do acesso dos agentes a imóveis fechados, abandonados ou cujos donos recusem a visita doméstica. Segundo a recomendação, as cinco cidades, somadas a outros 40, devem imunizar toda a população contra a doença, em atenção ao alerta e orientação da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab). A região oeste da Bahia passou a ser considerada uma área de risco de ocorrência da febre amarela, após ser confirmada em Coribe a morte de seis macacos, animais que são considerados os principais hospedeiros do vírus causador da doença. O promotor recomendou também atenção especial de pacientes suspeitos, não vacinados e com histórico de deslocamentos para áreas rurais fronteiriças aos estados de Goiás, Tocantins e Minas Gerais. Também recomendou a notificação imediata de casos suspeitos e de morte pela doença e de adoecimento e/ou morte de primatas não humanos nos municípios. 
 
Bahianotícia

21 de janeiro de 2017

Bahia registrou mais de 2 mil casos de superbactérias em um ano


Bahia registrou mais de 2 mil casos de superbactérias em um ano
Foto: Agência Brasil
A Maternidade José Maria de Magalhães Netto, em Salvador, registrou recentemente a morte de seis recém-nascidos (veja aqui) devido a um surto de infecção pela bactéria Serratia Marcescens. Casos de bactérias multirresistentes, ou simplesmente superbactérias, têm se tornado cada vez mais frequentes. Apenas em 2015, a Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) foi notificada de 2.442 casos, contra 1.367 em 2014. A pasta ressaltou que o aumento está relacionado principalmente ao trabalho desenvolvido junto às unidades hospitalares para que sejam feitas notificações e informou que os valores de 2016 não foram fechados. Ainda assim, o número é preocupante e, segundo a própria Sesab, não corresponde à realidade, já que há subnotificação. Em entrevista ao Bahia Notícias, o infectologista Robson Reis afirmou que o surgimento das superbactérias está relacionado a uma série de fatores, todos relacionados ao uso inadvertido de antibióticos. “As superbactérias levam esse nome porque conseguiram desenvolver mecanismos de resistência à maioria dos antibióticos atuais”, explicou. “A gente vem falando sobre a questão do ser humano utilizando antibiótico de maneira inadvertida. Claro que outras coisas também acabam influenciando, como o uso indiscriminado de antibióticos para a produção de animais. Em algumas aves ou suínos estão utilizando antibióticos extremamente potentes para tratar diarreia para que eles possam ganhar peso mais rapidamente. Outra coisa envolve nossa cultura de se utilizar antibiótico para tudo. Hoje já temos uma legislação que só permite vender antibiótico com receita médica, mas anteriormente as pessoas utilizavam antibiótico de maneira indiscriminada. Tinha uma dor de garganta, não era um processo infeccioso, mas inflamatório, e se utilizava antibiótico, por exemplo. Isso faz com que as bactérias criem cada vez mais um mecanismo de resistência, por meio de uma seleção natural entre elas. Outra coisa é a prescrição de colegas médicos de maneira inadvertida em algumas situações. A escolha do antibiótico não foi correta, o tempo de tratamento foi exageradamente longo... Isso tudo acaba influenciando”. Não é por acaso que a maioria das superbactérias surge em unidades de saúde. Nesses locais, principalmente em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), os pacientes mais graves precisam de antibióticos mais fortes, chamados de amplo espectro. “Quando você usa um antibiótico de amplo espectro, que é mais abrangente, acaba tratando bactérias que não deveriam ser tratadas, então elas desenvolvem esse mecanismo de resistência”, completou o profissional. Reis ressaltou que o maior risco que envolve as superbactérias é a possibilidade de não se controlar mais infecções simples, como urinária e gastrointestinal, levando ao óbito dos pacientes.
 
Bahianotícias

20 de janeiro de 2017

MPF recomenda que ACM Neto adeque obras no Mercado Modelo a critérios do Iphan

MPF recomenda que ACM Neto adeque obras no Mercado Modelo a critérios do Iphan
Foto: Elias Dantas
O Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA) recomendou ao prefeito de Salvador, ACM Neto, que recupere a rampa do Mercado Modelo e do cais ao redor do local conforme os critérios estabelecidos pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para aprovação da obra. O documento foi enviado na quarta-feira (18). Segundo o procurador Pablo Coutinho Barreto, autor da recomendação, algumas condições estipuladas pelo Iphan não foram cumpridas na execução da obra. O órgão federal recomendou que o acesso de pessoas com dificuldades de locomoção deveria ser realizado por meio de inclinação feita no próprio piso da Praça Cairu. Também era obrigatória a integração da rampa com o cais e a sinalização tátil nos pisos, de acordo com a norma brasileira 9050, que versa sobre acessibilidade. De acordo com o Iphan, essas medidas garantem a acessibilidade sem afetar o patrimônio histórico. O MPF também pontuou na recomendação que “é competência comum dos entes federativos a proteção das obras e outros bens de valor histórico”, de acordo com o artigo 23 da Constituição Federal.
 
Bahianotícias

19 de janeiro de 2017

Prefeitura divulga calendário de pagamento de 2017

A Prefeitura de Salvador publicou o Decreto 28.241, de 17 de janeiro de 2017, que estabelece o calendário do pagamento dos servidores públicos municipais exercício 2017; Confira as datas logo abaixo:
 TABELA DE PAGAMENTO PESSOAL - 2017
FUNCIONALISMO PÚBLICO MUNICIPAL - SALVADOR
(APOSENTADOS E PENSIONISTAS)

 


 

JANEIRO FEVEREIRO  MARÇO
ABRIL MAIO JUNHO JULHO
 31/01 24/02 31/03 28/04
31/05
30/06 31/07



AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO  NOVEMBRO  13º /2016/DEZ DEZEMBRO  
31/08     29/09    31/10 30/11 20/12   29/12

17 de janeiro de 2017

Evento Agente Mulher

Atenção



No dia 08 de Março é comemorado o dia Internacional da Mulher à criação deste dia tão importante alimentam o imaginário de que a data teria surgido a partir de um incêndio em uma fábrica têxtil de Nova York em 1911, quando cerca de 130 operárias morreram carbonizadas. Sem dúvida, o incidente ocorrido em 25 de março daquele ano marcou a trajetória das lutas feministas ao longo do século 20. Em homenagem as mulheres guerreiras agentes de saúde, a comissão das mulheres da AACES, convida para o evento AGENTE MULHER,  Desafios e dificuldades na luta por conquista.

O evento tem como objetivo identificar as demandas e orientar para a solução das problemáticas vividas pelas mulheres, por meio de suas atividades de campo, diagnostico situacional, identificação de lideranças sociais e apesar de ter seus direitos garantidos pela constituição, as mulheres brasileiras sabem que ainda há muito a conquistar.


A ser realizado no dia 09 de março de 2017 das 08h as 17h no auditório da FioCruz, localizado na Rua Waldemar Falcão, 121, Horto Florestal para participar do evento é necessário está inscrito, a comunicação da AACES realizará a confirmação da sua inscrição através do telefone ou e-mail . 


Para participar do evento gratuito, as associadas devem realizar as inscrições através do link: https://doity.com.br/agente-mulher/inscricao/ tendo como benefícios: almoço, sorteio de brindes, certificação.

Para maiores informações através do numero 98537-7989.   

Novas audiências




Os agentes de saúde cujo nome está listado abaixo tiveram a  audiência marcada. Favor conferir a data e o horário. Qualquer dúvida, contactar pelo telefone (71) 3027-0951 ou pelo whatsapp. 98537-7989, a partir das 14h.

23/01/2017 às 10h               Cleber Cerqueira Barreto
26/01/2017 às 10h20min     Paulo Roberto Moreira Cruz
02/02/2017 às 14h30min    Adneildes de Jesus Santos
13/02/2017 às 10h20min    Helionara Alves
13/02/2017 ás 09h 20min   Neilton Souza Vieira
14/02/2017 às 8h50min      Marta Batista dos Santos
14/02/2017 às 9h10min      Elisangela Rosa de Jesus Lima dos Santos
14/02/2017 às 9h30min      Alexsandra Silva Dessa
15/02/2017 às 8h10min      Marcus Roberto Barbosa São Pedro
27/02/2017 às 15hmin        Jorge Luis Reis Paiva
27/02/2017 às 13h45min    Alexsandro Rodrigues Maia
27/02/2017 às 08h20min    Ana Rosa de Jesus Santana
28/02/2017 às 08h20min    Marilia França Santos
28/02/2017 às 13h30min    Cosme Luis de Almeida
28/02/2017 às 14h               Niedja Regina Bandeira
01/03/2017 às 13h30min     Nubia Sousa Santana
01/03/2017 às 08h10min     Ronaldo Santos da Hora
02/03/2017 às 08h10min     Valquiria Conceição da Silva
03/03/2017 ás 14h15min     Adriana Rocha Souza
03/03/2017 às 8h10min       Vanderlei Gomes de Souza Filho
06/03/2017 ás 13h45min     Andre Luiz Souza Santos
08 /03/2017 ás 14h15min    Anderson dos Anjos Pitanga
08 /03/2017 ás 14h45min    Anderson Silva Menezes
09/03/2017 às 13h45min    Suzylene Lima Mascarenhas
10/03/2017 às 13h45min    Veronica Almeida de Oliveira









16 de janeiro de 2017

Febre amarela: Sesab recomenda imunização de moradores de 45 municípios

Febre amarela: Sesab recomenda imunização de moradores de 45 municípios
Foto: Agência Brasil
A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) emitiu uma nota recomendando a imunização contra febre amarela em 100% da população de 45 cidades baianas. Segundo informações do jornal Correio, o alerta ocorreu após seis casos de epizootia (transmissão agente patogênico entre animais hospedeiros) em macacos no município de Coribe, no Oeste da Bahia. A medida tem caráter preventivo após a confirmação de uma morte pela doença em Ribeirão Preto (SP) (saiba mais) e a notificação de casos suspeitos em Minas Gerais (clique aqui) nas últimas semanas – o Brasil não registrava casos desde 1942. De acordo com Maria Aparecida de Araújo, diretora de Vigilância Epidemiológica da Sesab, o registro da morte dos primatas aponta uma possível circulação do vírus causador da doença em áreas silvestres. “O estado sempre monitora a ocorrência de epizootias na região Oeste da Bahia. Como o vírus da febre amarela circula no meio silvestre, não podemos controlar. Se um macaco é acometido pelo vírus, ele morre. Quando isso acontece, ficamos em alerta”, explicou, acrescentando que o estado também monitora o mosquito vetor da doença, o Haemagogus. Ainda de acordo com a gestora, os profissionais das cidades baianas que fazem fronteira com Minas Gerais e Goiás foram orientados a ficarem atentos a pessoas com sinais de febre e icterícia, investigando aqueles que vierem de locais onde houve registro de casos. Serão imunizados os moradores dos seguintes municípios baianos: Angical, Baianópolis, Barra, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Brejolândia, Buritirama, Campo Alegre de Lourdes, Canápolis, Carinhanha, Casa Nova, Catolândia, Cocos, Coribe, Correntina, Cotegipe, Cristópolis, Feira da Mata, Formosa do Rio Preto, Ibotirama, Itaguaçu da Bahia, Iuiú, Jaborandi, Luiz Eduardo Magalhães, Malhada, Mansidão, Morpará, Muquém de São Francisco, Paratinga, Pilão Arcado, Remanso, Riachão das Neves, Santa Maria da Vitória, Santa Rita de Cássia, Santana, São Desidério, São Félix do Coribe, Sento Sé, Serra do Ramalho, Serra Dourada, Sítio do Mato, Sobradinho, Tabocas do Brejo Velho, Wanderley, Xique-Xique. Nos outros locais, serão priorizadas apenas crianças a partir de nove meses e pessoas que irão viajar para as áreas consideradas de risco. Não é recomendada a imunização de lactantes. De acordo com a Sesab, no entanto, todos os municípios do estado estão abastecidos com a vacina.  
 
Bahianotícias

14 de janeiro de 2017

Procura por vacina de febre amarela não aumentou em Salvador, afirma SMS


Procura por vacina de febre amarela não aumentou em Salvador, afirma SMS
Foto: Reprodução / Pixabay
Mesmo com o alerta do governo sobre a importância da vacina de febre amarela, após os 110 casos suspeitos em Minas Gerais, a capital soteropolitana não registrou um aumento na procura pela vacina pela população. As informações foram divulgadas pela Secretaria Municipal de Saúde de Salvador (SMS), que afirmou que a média de vacinação continua a mesma após a emissão do alerta: entre 3 a 5 mil vacinações por mês. Em cidades mineiras, o estoque da vacina chegou a acabar por conta da alta procura. A indicação do Ministério da Saúde é de vacinação a partir dos nove meses de idade, em pessoas que residem ou vão viajar a áreas endêmicas ou a partir dos seis meses, em situações de surtos. São indicadas a administração de duas doses da vacina. Uma avaliação médica é indicada para pessoas que tem imunodeficiência, para quem tem histórico de doenças do timo e para pessoas com histórico de reação anafilática relacionada a ovo de galinha, gelatina e produtos que tem proteína animal bovina.
 
Bahianotícias

11 de janeiro de 2017

Febre Amarela: OMS divulga alerta epidemiológico para as Américas

Febre Amarela: OMS divulga alerta epidemiológico para as Américas
Foto: Reprodução / Pixabay
A Organização Pan-Americana de Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPA/OMS) divulgou uma atualização de alerta epidemiológico sobre febre amarela para a América Latina. No documento, é apontado que além do Brasil, Colômbia e Peru também reportaram casos de febre amarela. Em 2016 foram seis casos no Brasil, sendo um importado na Angola, e só este ano, reportadas à OPAS/OMS na última sexta (6), foram 23 casos suspeitos e prováveis da doença, incluindo 14 mortes no estado de Minas Gerais. Já na Colômbia, 12 casos foram reportados ano passada, dos quais 7 foram confirmadas e 7 são casos prováveis. Os casos aconteceram em cidades fronteiriças, como Vichada (com a Venezuela), Chocó (com o Panamá) e Guainía (com Venezuela e Brasil). No Peru, 80 casos foram notificados, sendo 62 confirmados, 18 classificados e 26 mortes. O órgão recomendou que os países "continuem seus esforços para detectar, confirmar e manejar casos de febre amarela em um contexto de circulação de diversas arboviroses" e que os profissionais de saúde sejam atualizados e treinados para detectar e tratar esses casos. A hipótese de restrição de viagem ou comércio com os países em que houver surtos de febre amarela foi descartada.
 
Bahianotícias

10 de janeiro de 2017

Parabéns ao diretor Ricardo!


 
O diretor Ricardo está aniversariando. Que seus projetos, companheiro, tenham êxito! E que Deus ilumine sua vida e a dos seus entes queridos. Feliz Aniversário!

Diretoria da Aaces

5 de janeiro de 2017

Após morte, Ministério da Saúde reforça orientação sobre vacina contra febre amarela

Após morte, Ministério da Saúde reforça orientação sobre vacina contra febre amarela
Foto: Divulgação/Osnei Restio
O Ministério da Saúde reforçou nesta quinta-feira (5) a orientação de imunização contra febre amarela. Toda pessoa que reside ou que vai viajar para regiões silvestres, rurais ou de mata deve se imunizar. A vacina é ofertada no Calendário Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS) e foram enviados mais de 16 milhões de doses em 2016. A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera apenas uma dose da vacina como suficiente para proteger o indivíduo por toda a vida. No entanto, a queda na imunidade com o tempo da vacinação fez com que o Ministério da Saúde definisse a manutenção de duas doses da vacina, sendo uma dose aos nove meses de idade com reforço aos quatro anos.
 
Bahianotícias

3 de janeiro de 2017

Informe AACES

Resultado de imagem para juridico




Informamos aos nossos associados que devido ao RECESSO DO JUDICIÁRIO nosso atendimento jurídico estará retornando a a partir do dia 23 de janeiro de 2017, entretanto, salientamos que nossa sede encontra se funcionando normalmente no período da tarde a partir das 14h para outros atendimentos diversos.

Departamento juridico AACES

2 de janeiro de 2017

Vacina contra HPV começa a ser oferecida a meninos em janeiro

Vacina contra HPV começa a ser oferecida a meninos em janeiro
Foto: CDC / Judy Schmidt
A vacina contra o HPV começará a ser oferecida a meninos de 12 a 13 anos a partir deste mês, como parte do Calendário Nacional de Vacinação. Segundo informações da Agência Brasil, o Ministério da Saúde informou que a faixa etária será ampliada gradativamente até 2020, incluindo meninos de 9 a 13 anos. A expectativa é de imunizar mais de 3,6 milhões de meninos em 2017, além de 99,5 mil crianças e jovens de 9 a 26 anos que vivem com HIV/Aids no Brasil. Serão gastos R$ 288,4 milhões para adquirir 6 milhões de doses. O Brasil é o primeiro país da América Latina e o sétimo do mundo a oferecer a vacina contra papiloma vírus humano para meninos em programas nacionais de imunização. Já fazem a imunização para o sexo masculino os Estados Unidos, Austrália, Áustria, Israel, Porto Rico e Panamá. O esquema vacinal será de duas doses, com seis meses de intervalo entre elas. Para os soropositivos, serão três doses, com intervalo de dois e seis meses, respectivamente. Nesses casos, é necessário apresentar prescrição médica. Há mais de 150 tipos de HPV, sendo que cerca de 40 podem infectar o trato ano-genital.  
 
Bahianotícias